28 de Agosto de 2016

Vossa terra, vossa herança, já cansada, renovastes

Publicado por

Quando nos sentimos acuados pelo medo, incompreendidos em nossa essência,

Desejamos ordenar nossos pensamentos, nossas utopias.

Porém, como ordenar aquilo que é desiquilibrado?

O cansaço aumenta, a angústia aperta, mas sobra um espaço de silêncio,

Este renova a terra e valoriza a herança.

 

Horizontes novos despontam diante dos olhos,

Estes revelam a superficialidade dos projetos iniciais,

E paradoxalmente, o manancial do amor inicial, como sempre, sem igual.

A cidade do Deus Vivo, casa dos pobres,

Ergue-se na beleza da superação da Ressurreição.

 

Aqui realiza-se o trabalho com mansidão, numa inquietude regada de compaixão,

Que torna dócil o paladar para degustar o imprevisível sem medo de amar.

Tudo isso é vocação de um ser afetivo afagado na consagração.

Entre lutas psicológicas e tensões das frustrações,

Surge um mar de realização que nos encaminha a imensidão.

 

Por pe. Éder Carvalho Assunção Missionário da Prelazia de Lábrea no Corno da África [email protected]

 

Leitura Orante

1ª Leitura – Eclo 3,19-21.30-31 (gr. 17 -18.20.28-29)

Salmo – Sl 67, 4-5ac.6-7ab.10-11 (R. Cf. 11b

2ª Leitura – Hb 12,18-19.22-24a

Evangelho – Lc 14,1.7-14

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *