02 de Julho de 2015

Pastoral da Juventude do Sul do Amazonas realiza ampliada em Humaitá-AM

Publicado por

A Pastoral da Juventude nos dias 26 a 28 de Junho de 2015 na Cidade de Humaitá-AM realizou sua primeira Ampliada (Assembleia) do Sul do Amazonas: Prelazia de Lábrea- Pauini, Canutama, Lábrea e Tapauá. Diocese de Humaitá – Apuí, Manicoré, Humaitá, Santa Luzia, Auxiliadora (Km 180). Contou com 150 jovens entre participantes e equipes de trabalho. Teve como tema: “Juventude é hora de acordar”, lema: “Vamos construir a tão sonhada civilização do amor” e a iluminação bíblica: “Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo resplandecerá sobre a tua presença” (Ef. 5,14).

Foram momentos de VER a caminhada da juventude desde as bases com a temática – “Cenários Juvenis”, Coordenado pela Ir. Ângela Falchetto, Salesiana. Que conduziu a fala dos representantes das Paróquias para expôr como está esse cenário juvenil nas nossas realidades. Muito bem explicito por nossos jovens representantes, que vivemos em um tempo de mudanças, desafios e sonhos, com desejo de crescer sempre mais.

2

Vivenciamos o Momento de Espiritualidade em que fizemos memória dos mártires que doaram suas vidas em favor da Civilização do amor entre eles o Pe Gecisley e Ir. Cleusa.

No momento do JUGAR trabalhamos a parte formativa com a temática – “Civilização do Amor: Juventude e Missão”, Coordenada pela Ir. Jocerlane Silveira, Missionária Agostiniana Recoleta, que expôs a temática baseado no documento “Civilização do Amor: Projeto e Missão” do CELAM (Conferência Episcopal Latino Americana). Destacou que a civilização do amor é um “conjunto de condições morais, civis e econômicas que permite a vida humana uma condição melhor de existência, uma racionalidade plena e um feliz destino eterno”: dignidade, libertação, pleno desenvolvimento de toda pessoa, nova cultura da vida e da solidariedade, verdade, justiça e liberdade planificadas pelo amor. A civilização do amor é um chamado a reconhecer que o Reino de Deus cresce na America Latina entre os pobres e os que sofrem. A civilização do amor supõe acreditar que o estilo de vida inaugurado por Jesus e proclamado nas Bem-Aventuranças é o mais humano e o mais atual. A Juventude traz uma contribuição especifica na medida em que aderem e se comprometem a viver a espiritualidade do mandamento novo. A civilização do amor é uma visão de mundo que surge do Evangelho, “se inspira na palavra, na vida e na entrega plena de Jesus” A civilização do amor é entrega e serviço. É critério inspirador e realização no tempo. Uma reafirmação de valores – Sim à vida.

3

A civilização do amor é uma realidade, formada por protagonistas, pessoas jovens, protagonistas da sua própria história. São jovens comprometidos com a realidade em busca do que pode mudar das coisas que vem lutando e valorizando como protagonistas dos espaços jovens e da participação cidadã e poder gerar espaços de compromisso e ação. A civilização do amor nos leva a construir uma civilização de respeito, de amizade, de se fazer próximos uns dos outros. A civilização do amor significa a utopia de milhões de jovens que sonha e trabalha com Jesus para se tornar realidade. A civilização do amor é o Reino de Deus no meio da humanidade.

4

Acreditamos que ao falar da civilização do amor nós estamos descrevendo aquilo que a juventude brasileira e Latino Americana querem para a humanidade nesta sociedade.  É o rosto fiel do Reino de Deus. Com esses desejos fomos julgar também a nossa realidade atual com seus desafios na vida da juventude, com as rodas de conversas sobre as temáticas: 1- “Redução da maioridade penal”, responsável: Psicóloga Valdirene; 2- “Violência e Juventude”, responsável: Frei Mário; 3- “Análise de Conjuntura do Cenário Político”, responsável: vereador Alexandre Perote; 4- “DNJ 2015: Juventude Construindo uma Nova Sociedade”, responsável: Jovem Klivy.

5

6

Passamos para o AGIR- fazendo o nosso planejamento como região Sul da PJ, quais ações que iremos desenvolver nesse triênio de 2015-2018. Como já foi proposto pelo Regional que assumíssemos o Projeto Nacional Ajuri: Conhecendo a realidade Indígena, Quilombola, Ribeirinha e Rural. Vimos algumas ações concretas para pô-lo em Prática em cada Paróquia.

7

E assim fomos CELEBRAR com a arte, a dança e a música próprio do ser da Juventude e com a Celebração Eucarística na Catedral Maria Auxiliadora. A comunidade local nos acolheu muito bem e o Pároco nos deu a Benção de envio para a continuarmos nossa missão em nossas cidades e Paróquias. E assim com um delicioso almoço nos despedimos.

8

Os jovens da Prelazia de Lábrea, pegamos a estrada de ônibus, atravessamos rios e demos uma parada no Rio Paciá para contemplar ali o acontecido com a entrega da nossa Irmã Cleusa. Seguimos ruma a Lábrea. Em seguida os jovens das outras paróquias seguiram viagem rio Purus acima e abaixo. Com a certeza de que a Construção da Civilização do Amor se dá no dia a dia, nas pequenas missões diárias.

9

 Aproveitamos para agradecer a todos e todas que nos ajudaram e acreditam nessa missão da formação da nossa Juventude.

Ir. Jocerlane Silveira dos Santos – Assessora da PJ da Prelazia Lábrea.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *