19 de Dezembro de 2014

Centro Esperança de Lábrea comemora 20 Anos

Publicado por

“… todas as vezes que vocês fizerem isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizeram” (Mt 25, 40b)

            No início dos anos 90 o Brasil gerou uma expectativa de sonhos com o Governo Collor, o primeiro presidente eleito pelo voto direto após o Golpe Militar e instalou-se uma alegria contagiante quando em julho de 1990 foi promulgado o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o que garantiria, pelo menos, na teoria, a efetivação de direitos ao público infanto-juvenil no país.

            Na prática isso não aconteceu. O Estado não conseguiu fazer cumprir o que estabelecia essa importante legislação e o que se viu no Brasil foi um total desrespeito à garantia desses direitos. Um exemplo foi a conhecida Chacina da Candelária, em 1993, no Rio de Janeiro.

            Em Lábrea, a situação não era diferente… 

A falta de políticas públicas, o elevado índice de desistência escolar, a desestruturação familiar, a violência policial e os constantes enfrentamentos entre jovens de diferentes bairros da cidade, transformava a Praça Central em cenário de guerra.

Em seu Art. 4º, o ECA estabelece:

 “É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária”.

Foi no cumprimento à legislação vigente e na expectativa de oferecer oportunidade aos adolescentes de Lábrea que surgiu na Igreja, a ideia de se criar um projeto que fortalecesse o convívio familiar, ocupasse o tempo ocioso, voltasse a atenção para a vida escolar e contribuísse de forma significativa para o futuro desses adolescentes.

Encontros, reuniões, espiritualidade, ideias, visita ao Centro do Menor em Humaitá, trabalhos, expectativas, contatos, conversas…

Estava, portanto, plantada a semente do Centro Esperança.

O ano era 1994.

Poucos recursos, pequeno espaço para atividades, reduzido grupo de orientadores, alguns adolescentes, porém, muita vontade de ajudar e colaborar para a redução dos problemas sociais da cidade.

Passadas duas décadas daquele humilde começo, é inegável o sucesso do Centro Esperança. 

Quantos religiosos deixaram suas marcas, quantos leigos, orientadores, colaboradores, parceiros, amigos… Quantos alunos aproveitaram os ensinamentos e hoje trilham caminhos de sucesso: professores, pedagogos, administrativos, funcionários públicos, autônomos, empresários, dentistas, policiais, médicos, pilotos, escriturários, industriários, desportistas, universitários, enfim, independente da profissão que exerçam ou do sucesso que não galgaram faz-se mister a oportunidade dispensada a cada um dos que passaram pelo Centro Esperança.

No sábado, 13 de dezembro de 2014, a família Centro Esperança – coordenadores, orientadores, alunos, colaboradores e os respectivos ex – reuniu-se para celebrar os 20 anos do Centro Esperança na Quadra Poliesportiva da Instituição, local no qual havia um campinho de terra batida que fazia muito sucesso às sextas-feiras. 

P1290219

 A comemoração foi muito intensa e diversificada e contou com a seguinte  programação:

a) Na oração inicial Frei José Corcuera (Administrador Paroquial) e atual Diretor do Centro explicou a importância da data para a sociedade de Lábrea, agradeceu aos colaboradores, lembrou o trabalho essencial de todos os ex-alunos, orientadores e coordenadores, enalteceu os religiosos que o antecederam no Centro e lembrou com carinho do orientador Jesus dos Santos Silva.

b) Nos pronunciamentos as autoridades representando a Polícia Civil, a Polícia Militar, o Conselho Tutelar, a Prefeitura, a Câmara Municipal, as Secretarias de Educação e de Assistência Social, as Escolas Santo Agostinho, Santa Rita, Thomé de Medeiros, Jovelina Maia e IFAM, além do Projeto Jovem Cidadão, enalteceram o Centro Esperança pela passagem dos 20 anos, oportunizando às crianças e adolescentes a possibilidade de um futuro promissor. Também aconselharam os atuais alunos a aproveitarem cada minuto que estão no Centro esperança, uma vez que todo o aprendizado adquirido será fundamental para a construção de um futuro melhor.

P1290221

c) Foram realizadas apresentações Culturais – Dança da Identidade e Xote dos Alunos – corroborando os talentos dos alunos para as mais variadas artes;

P1290237

d) Da turma de 1994 estiveram presentes os alunos: Antonia Sissa, Antonia Gleuba, Francisca Glêugila, Maria do Socorro, Francisco e Antonio Sebastião. Sissa falou em nome dos colegas. Agradeceu pela oportunidade que tiveram, de como era a situação da Instituição naquele longínquo ano, da felicidade que tinham em reencontrar colegas, ex-orientadores e os alunos atuais e das saudades de Jesus dos Santos;

P1290239

e) Nos depoimentos dos ex-alunos –  José Cláudio Silva de Souza (Policial Militar), Manoel Francisco Souza de Oliveira (Psicólogo a serviço do Centro Esperança), Francisco (piloto da Rima Linhas Aéreas) e Jéssica Andrade (professora de Biologia) – tivemos muita emoção, gratidão pela oportunidade oferecida e sucesso para os atuais alunos;

P1290253

f) No momento das despedidas – Frei Gustavo Barbiero (Coordenador) e Jonas Alves Carvalho (da oficina de Marqueteria e no Centro há 18 anos) – muita emoção, homenagens e desejos de felicidade na próxima empreitada de cada um. Frei Gustavo está sendo direcionado para outra missão na Igreja e Jonas residirá em Manaus;

P1290297

g) Despedida nos 18 anos. Todos os anos há homenagens aos alunos que completam 18 anos (a maioridade), idade máxima para a permanência no Centro Esperança. Nesse ano, 10 alunos que se despediram, choraram junto aos familiares, foram homenageados, receberam felicitações, certificados e o desejo de seguir todos os ensinamentos em suas vidas familiar, social e comunitária.

P1290293

h) Antonio Paulino Santos – orientador de Informática, de 1998 a 2002, divulgou a autoria de um livro sobre o Centro Esperança – que está em fase de produção e que será uma homenagem ao Jubileu de Prata do Centro, em 2019 e contará um pouca da história da Instituição. Aguardemos todos, na Festa dos 25 do Centro Esperança, a publicação do livro “JUBILEU DE PRATA DE UM CENTRO DE OURO”.

i) E, finalmente foram feitos todos os agradecimentos, realizados sorteios de brindes e a confraternização final entre todos com agradáveis conversas paralelas.

P1290298

Que a força, dedicação e oportunidade disponibilizada pelo Centro Esperança nesses 20 anos possam ser motivação para que atual equipe de coordenação e alunos contribuam imensamente para o desenvolvimento de nossa sociedade.

Levante a cabeça e siga

Encare de frente a vida

Busque dentro de si mesmo

A esperança de vencer.

(…)

“Tenho certeza que Deus, que começou em vocês esse bom trabalho, vai continuá-lo até que seja concluído no dia de Jesus Cristo” (Fil. 1,6).

Parabéns Centro Esperança! 

20 anos construindo sonhos no dia-a-dia!!!

Antonio Paulino dos Santos

Orientador de Informática no Centro Esperança

(1998 a 2002).

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *

1 Comentários

Mara

Parabéns a todos!