Missão Somália: Obrigado Tapauá pela companhia missionária!

Olá Fr. Antônio e Comunidade Paroquial de Santa Rita de Tapauá, graça e paz!

É com imensa alegria que escrevo a vocês neste dia de São Francisco Xavier, diretamente de algum lugar na Somália. Acabei de celebrar a missa numa pequena capela que foi destruída e tomada pelos rebeldes no início da guerra civil e que agora voltou aos nossos cuidados.

A Somália vive depois do início da década de 90 uma guerra civil que parece não ter fim. Nossa catedral foi destruída, vários missionários e missionárias foram martirizados, inclusive o bispo Dom Salvador. Antes da guerra havia uma harmoniosa convivência dos missionários com as inúmeras tribos somalis. Mas, infelizmente, depois do caos civil, grupos fundamentalistas iniciaram um processo de islamização violento e injustificável.

Ressalto que o problema se dá com os fundamentalistas, pois os mulçumanos sempre coexistiram com as pequenas comunidades cristãs e, mesmo hoje, contemplamos irmãos mulçumanos que são uma presença da ternura de Deus através dos inúmeros projetos humanitários espalhados pelo país.

Vivemos num clima de insegurança total, todas as igrejas foram saqueadas e destruídas, os cristãos fugiram e, aqueles que permanecem, são obrigados a “esconderem a sua fé”, por uma questão de sobrevivência.

Os missionários da Somália, atualmente três padres, duas leigas e o bispo, habitam em Djibouti, a chamada Somália Francesa, por questões de segurança, pontualmente fazemos as visitas missionárias. Os projetos sociais são inúmeros, administrados pelas lideranças e associações locais com o apoio da Igreja, porém, a presença de missionários em algumas regiões ainda não é possível.

Neste mês de dezembro, aqui estou junto com uma missionária, para organizar um projeto de combate à fome. Corremos o risco, mas não abrimos mão de estar com o povo que nos acolhe com alegria. Aqui todos são mulçumanos… todos são nossos irmãos. Nossa presença é silenciosa e gratuita.

Fiquei muito feliz em receber a notícia que a Paróquia de Tapauá, através da feira missionária, rezou por nós e também, partilhou de sua pobreza. Isso nos dá força, pois sabemos que não estamos sozinhos. Aqui estou, não em meu nome, mas em nome da Prelazia de Lábrea. Agradeço às lideranças leigas, às comunidades da cidade e do interior, ribeirinhas e indígenas, aos religiosos e religiosas, Agostinianos Recoletos e Oblatas da Assunção.

Em cada Eucaristia nos unimos espiritualmente, em torno da mesma mesa está a Somália e Tapauá.

Desejo que a vossa novena de Natal, seja fecunda e profética, que ela seja um instrumento de Misericórdia e de Compaixão para com os mais pobres e esquecidos.

Rezem por nós e, obrigado pela partilha missionária.

Na intercessão de Nossa Senhora, mãe do Bom Pastor, de São Francisco Xavier e de Santa Rita, o Senhor vos abençoe + e vos guarde na paz e na alegria.

P. Éder Carvalho Assunção

Missionário da Prelazia de Lábrea no Corno da África [email protected]

COMPARTILHE:

AJUDE
A PRELAZIA

X