Dia Mundial de Luta contra Aids

por Pe. Éder Carvalho Assunção – Missionário da Prelazia de Lábrea no Corno da África [email protected]

Penso na fé firme das mães ao pé da cama do filho doente,

que se agarram a um terço ainda que não saibam elencar os artigos do Credo;

ou na carga imensa de esperança contida numa vela que se acende, numa casa humilde,

para pedir ajuda a Maria, ou nos olhares de profundo amor a Cristo crucificado.

Papa Francisco EG 125

Neste dia Mundial de Luta contra a Aids a Igreja se une a todas a pessoas de boa vontade que partilham a vida com as portadores do HIV. São inúmeras as inciativas espalhadas pelo mundo que expressam a beleza do servir.

Desde a descoberta do vírus no início da década de 80 mais de 25 milhões de pessoas perderam a vida, segundo dados oficiais. Em alguns países existem política públicas que oferecem um tratamento digno e humanizado. Infelizmente, nos países mais pobres, principalmente na África, a situação é desesperadora.

Sabemos que o vírus enfraquece o sistema imunológico do corpo gradualmente, porém, ele é incapaz de destruir a capacidade de gerar esperança, presente em cada ser humano. Portanto, o desafio no acompanhamento das pessoas com HIV, é de dar um suporte psicológico e espiritual pra mostrar que é possível viver bem, “sem medo de ser feliz”.

As comunidades eclesiais tem um papel importante nesta luta. Eis alguns possíveis passos:

  1. Formação: é preciso informar e formar sobre a doença. Capacitar pessoas para que sejam capazes de exercer uma pastoral fecunda e silenciosa (a lei garante o anonimato à pessoa portadora).
  2. Construção de políticas públicas: O Conselho Municipal de Saúde constitui um espaço privilegiado para exercer o controle social. É necessário propor e acompanhar a aplicação dos recursos destinados a esta causa.
  3. “Cuidar é melhor que remediar”. A Pastoral Familiar é fundamental na formação da pessoa humana para a vivência da sexualidade, à luz da Palavra e da Tradição. Educar para o amor.
  4. Amar e lutar contra todo tipo de discriminação. Acompanhar com sensibilidade maternal todos aqueles que são atingidos por esta epidemia. Ir ao encontro dos mais pobres.
  5. Lutar contra as drogas: cresce o número de pessoas contagiadas nas “cracolândias” das cidades brasileiras. Surge assim, um sonho de renovação de uma Pastoral da Juventude preocupada realmente com os desafios do jovem que estão “fora da Igreja”.

No mundo temos 2,3 milhões de crianças com HIV, no Brasil 21 mil. Muitas destas crianças são órfãs, portanto, necessitam de adoção. É fantástico quando um casal adota na gratuidade uma criança com HIV, este ato revela que o ser humanos possui em si a força da beleza e do amor. E que tal se você fosse a próxima pessoa a adotar uma criança com HIV?

Abaixo, seguem os dados de um projeto missionário com crianças portadoras do HIV. Seja um colaborador!

Amizade Solidária

Amizade Solidária

CASA SAGRADA FAMÍLIA

 A Casa Sagrada Família (CASF) que atende crianças e famílias portadoras do vírus HIV/Aids, consiste num projeto idealizado e concretizado pela Comunidade Católica Epifania. A princípio, em setembro de 1995, a intervenção realizava-se através de visitas ao Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória (HINSG), levando apoio psicológico e espiritual às crianças internadas no setor do isolamento direito, utilizando-se de recursos lúdicos como: músicas, brincadeiras, teatro, etc. Mas, com o decorrer do tempo o trabalho foi desenvolvendo-se e adquirindo proporções maiores de acordo com as demandas do público alvo, passando a intervenção abranger com maior ênfase junto às famílias das crianças hospitalizadas. Acarretando, no dia 01 de dezembro de 1996, na inauguração da CASF pela Comunidade, que dentre outros trabalhos na área de evangelização, coordena essa entidade que constitui-se numa obra de promoção social, sem fins lucrativos.

Descrição /Método:

A entidade trabalha na prestação de assistência social realizando o acompanhamento dessas famílias tendo como objetivo o bem-estar das crianças e a qualidade de vida em sua estrutura familiar em sua totalidade. Para isto, o trabalho se desenvolve das seguintes formas: 1 – reuniões mensais, onde ocorrem palestras, , 1.2 – lanche comunitário,  1.3 – reunião de oração, 1.4 – distribuição de cestas básicas, leite e repasse de doações (roupas, brinquedos, cobertores, etc.); 2 – visitas domiciliares semanais, com ênfase no apoio psicossocial, na orientação e promoção social; 3 – casa de apoio e moradia para crianças em situação de risco social e pessoal; 4 – Palestras de Prevenção ao HIV/AIDS para a Comunidade em Geral (escolas, emissoras de TV e rádios, grupo de jovens, seminários religiosos, etc.)

Hoje a CASF atende a 80 famílias na Grande Vitória e interior do Estado do Espírito Santo, 81 crianças em suas residências e a 18 crianças e adolescentes entre 07 meses e 18 anos, residentes na CASF, Vila de Nazaré em Vila Velha.

Todas as crianças estudam na rede pública de ensina, fazem cursos extracurriculares fora da instituição (computação, inglês, desenho e outros), recebem acompanhamento pedagógico na Vila de Nazaré onde residem.

Principais Resultados:

Melhoria da qualidade de vida das pessoas vivendo com HIV/AIDS; abordagem da subjetividade dos indivíduos: auxiliando-os no processo de decodificação e aceitação do HIV/AIDS; ênfase junto às famílias, principalmente aos responsáveis pela criança, acerca da necessidade da adesão ao tratamento (co-responsabilidade e auto-cuidado); resgate da auto-estima; valorização da vida; ressocialização e reintegração familiar/social.

CRENÇAS E VALORES DA CASF:

 a)   O amor ao próximo é inseparável do amor a Deus, autor da vida;

b)   Valorização e luta pela vida e seu desenvolvimento em quaisquer circunstâncias;

c)   A solidariedade é uma virtude eminentemente cristã que pratica a partilha dos bens espirituais e materiais;

d)   Participação voluntária e generosa da pessoa na realização do bem comum;

e)   Valorização das pessoas e sua contribuição solidária;

f)    Conduta ética;

g)   Respeito à individualidade no processo de desenvolvimento infantil;

h)   Direcionamento da eficiência e da qualidade do trabalho de modo a contribuir com os órgãos públicos na assistência aos pacientes infantis soropositivos.

MISSÃO DA CASA SAGRADA FAMÍLIA:

 “FORNECER ASSISTÊNCIA DE QUALIDADE QUE ASSEGUREM A MELHORIA DE VIDA DAS CRIANÇAS SOROPOSITIVAS, EM RISCO SOCIAL SEJA ATRAVÉS DE CASA DE ACOLHIMENTO OU APOIANDO-AS EM SUAS RESPECTIVAS FAMÍLIAS, BASEADA NOS VALORES CRISTÃOS DA VIDA E DA FRATERNIDADE, ESTIMULANDO O COMPROMISSO SOLIDÁRIO NA SOCIEDADE.”

 Fonte: www.epifania.org.br

Doações:


Agência 0021
– Digito: 3
– C/C: 105783-9

 

 

COMPARTILHE:

AJUDE
A PRELAZIA

X